Os ctenóforos possuem corpos esféricos, de simetria birradial. Porém muitas espécies tornam-se achatadas em graus variáveis, comprimidas ou deprimidas, ao longo da vida. O corpo pode ser dividido em dois hemisférios: o pólo oral (onde esta situada a boca) e o pólo aboral (região diametralmente oposta à boca).

Os indivíduos do filo distinguem-se pela presença de oito fileiras meridionais de pentes ciliares (ou ctenas), responsáveis por sua locomoção. Na maioria das espécies emergem de duas baínhas, situadas em lados opostos, dois longos tentáculos retráteis, com células adesivas denominadas coloblastos, que são utilizados na captura de alimento.

A parede de seu corpo é composta de uma epiderme externa, com células sensoriais e glandulares mucosas, seguida por uma camada de musculatura lisa e uma mesogléia espessa composta por fibras e amebócitos provenientes do mesoderma.

Sistema digestivo: é composto por um sistema de canais birradiais, que surgem de um estômago central (ou infundíbulo). Após a boca possuem uma faringe ciliada longa e achatada com poros que se abrem na mesogléia (provavelmente para regular o nível de fluido para sua flutuação), se estendendo ao longo do eixo polar até um estômago. A digestão ocorre de maneira extra e intracelular, o que não pôde ser digerido sai através dos poros anais (localizados no pólo aboral).

Sistema nervoso: Situado abaixo das fileiras de pentes, é uma rede nervosa subepidérmica bem desenvolvida.

Sistema sensorial: Possuem um órgão chamado estatocisto que é responsável pelo senso de equilíbrio do animal em relação ao plano horizontal.

Os ctenóforos são animais carnívoros e alimentam de outros animais planctônicos como:

Copépodos (crustáceos)

Ovos e larvas de peixes

Cnidários

Outros ctenóforos

A maioria dos membros do filo é hermafrodita e de fecundação externa, exceto as espécies que incubam seus ovos.