(011) 3889.7721 / (011) 3796.8666 – Celular: (011) 94725.1127 Nextel: 55*84*104742 [email protected]
Controle da narcose

A narcose, tão conhecida e comentada em todos os cursos de mergulho, ao contrário do muitos acreditam, não é causada única e exclusivamente pelo Nitrogênio (N2). A confusão se dá pelo fato de a maior parte dos mergulhos serem nos limites recreacionais e, portanto, o grande vilão da história acaba sendo esse gás.

Leia atentamente seu manual do curso básico e note que é explicada somente a Narcose pelo Nitrogênio, ou seja, há possibilidade desse fenômeno ser causado por outros gases quando respirados sob pressão. Dessa forma, a terminologia correta seria Narcose dos gases inertes, sendo a do Nitrogênio a mais popular devido ao grande uso do ar comprimido.
Mas misturas gasosas utilizadas no mergulho técnico que possuem Hélio (He) em sua composição, também terão este gás como um dos causadores da narcose. Porém, com um efeito 4 (quatro) vezes menos narcótico do que o Nitrogênio.

Os estudos sobre a real causa da narcose são recentes e não são conclusivos, mas até o momento sabemos que a narcose não é resultado de uma reação química.  Aparentemente as moléculas dos gases nos afetam fisicamente, estando este efeito diretamente relacionado à solubilidade do gás nas células adiposas de nosso tecido nervoso, ou seja, o gás é absorvido pela gordura das células nervosas e age na sinapse entre elas, interferindo nos sinais químicos e elétricos da atividade cerebral.

Não há, até o momento, uma mistura gasosa ideal para o mergulho, seja ele recreacional ou técnico, o que existe é uma combinação de fatores, tais como profundidade a ser atingida, tempo de fundo, efeito narcótico a ser suportado, entre outras, que permitirão a escolha da “melhor” mistura para determinado mergulho.

Outra confusão se dá pelo fato de alguns mergulhadores que já desceram para a faixa dos 30 metros ou mais, ao retornarem de suas imersões, terem a falsa impressão de que não estiveram sob o efeito da narcose. Depois de décadas ensinando o mergulho e observando os alunos do curso avançado durante a execução do mergulho profundo (uma das especialidades praticada neste curso), adotei a prática de solicitar ao aluno a solução de exercícios matemáticos.
O teste é simples. Em uma prancheta subaquática escrevo algumas equações aritméticas e peço para que sejam resolvidas, pelo aluno, durante a imersão para comprovar que seu raciocínio abaixo dos 30 metros não condiz mais com o que ele é capaz de executar na superfície.
Os resultados, na maioria das vezes, são hilários e motivo de muitos risos após o término do mergulho e a conferência na superfície.

E como controlar a narcose em seus mergulhos ?

Seguem 10 recomendações:

  1. Mergulhe descansado
  2. Confie em seu treinamento e evite o stress.
  3. Não ingira álcool e drogas antes do mergulho (inclusive medicamentos para enjôos).
  4. Se possível,  não fume antes do mergulho.
  5. Cheque os instrumentos a cada intervalo pré-definido no planejamento do mergulho.
  6. Para mergulhos técnicos que envolvam descompressão, planeje paradas ao longo da descida para checagem de instrumentos e nível de narcose. Procure anotar o planejamento em uma prancheta e efetue a checagem de acordo com o planejado.
  7. Treine suas habilidades. É sabido que ficamos mais resistentes à narcose quanto mais mergulhos praticamos em profundidades maiores do que 30 metros.
  8.  Não se exercite desnecessariamente durante o mergulho. Opte por movimentos mais lentos e tranqüilos.
  9. Aumente a profundidade de seus mergulhos gradualmente e, sempre que possível, mergulhe primeiro com alguém com mais experiência neste tipo de imersão até que você atinja um nível bom de treinamento.
  10. Seja prudente em todas as ações e siga a lei de redundância em mergulhos técnicos (equipamentos e disponibilidade de gás).
Sintomas e sinais de narcose:- Sensação de bem estar
– Euforia
– Vertigem
– Aumento do diálogo interior
– Diminuição da atenção
– Raciocínio lento
– Perda da sensibilidade
– Desconsideração do perigo
– Falta de coordenação motora
Cesar Martins

Ao praticar você será capaz de identificar quando estará sob o efeito da narcose e até onde é seu limite de segurança. Nunca o ultrapasse e procure aumentar gradualmente e lentamente os objetivos de profundidade a serem atingidos.

Bons mergulhos profundos.

Fique com a Luz.

Joe

×
Olá, posso te ajudar?